Manejo integrado de pragas em supermercados e mercadinhos

super

Manejo integrado de pragas em supermercados e mercadinhos

Supermercados
Este é talvez o controle de pragas mais difícil, pelo fato de ter em seu interior uma padaria, um açougue, uma peixaria e um amplo setor de frutas e legumes; além de uma infinidade de produtos alimentícios e não alimentícios nas gôndolas. Acrescentando a isso, imagine um grande número de fornecedores que podem levar pragas para o interior do estabelecimento, por isso, é tão problemático o combate a pragas em suas áreas. Mas nós somos hoje a empresa mais preparada para executar esse serviço em supermercados, devido a nossa experiência e histórico de bons resultados dentro do segmento, pois contamos com uma equipe de especialistas para resolver os problemas mais graves, tais como, uma infestação de roedores e de baratas, mesmo as mais resistentes.

Mercadinhos
Apesar de serem menores que um supermercado, a problemática com as pragas é similar, com um agravante de, muitas vezes, serem conjugados a outros prédios, dificultando a colocação dos pontos de iscas para o combate a roedores. Mesmo diante dessas dificuldades, atuamos com resultados bastante satisfatórios, gerando satisfação a nossos clientes.
Principais áreas atacadas

Setor de hortifrutis
É um dos setores mais críticos, pois sempre chega mercadoria infestada de francesinha (Blatella germânica) e algumas frutas entram na dieta de roedores.

Cereais
Muitas vezes, este setor é atacado por roedores devido à presença de produtos apreciados pela praga, como a farinha de milho.
Depósito
Local de grande oferta de alimentos para as pragas, onde normalmente elas se instalam. Chegam em mercadorias e, muitas vezes, vêm de caminhões infestados.

Bebidas
Identificamos que esse setor é um dos locais que apresentam mais problemas com baratas em supermercados. Isto se deve, principalmente, ao fato de encaminharem a caixaria infestada pela praga diretamente para a seção.

Padaria
Área crítica, primeiro, porque a legislação não admite a presença de pragas neste setor. Mas sabemos que não é bem isso o que acontece, pois as pragas conseguem entrar em todos os ambientes, tanto por causa do seu tamanho – muitas são minúsculas, quanto pelo fato de virem escondidas nas mercadorias, chegando a infestar máquinas e equipamentos, o que dificulta o controle.

Açougue
As moscas adoram este setor, que se torna um dos locais de mais difícil controle desta praga, como também de alguns roedores.

Peixaria
Esta é uma área crítica assim como o açougue e a padaria. Devido ao cheiro do alimento, este setor atrai muitas moscas e roedores.

Nosso programa de manejo integrado de pragas (MIP)
A implantação do programa é dividida em 8 passos, aplicados de forma ordenada e cautelosa, como mostra o diagrama:

cronograma

 

Avaliação inicial

Esta primeira avaliação do imóvel é fundamental para a eficácia de todo o programa, pois, nela observa-se o nível de infestação e sua extensão, as condições higiênicas e sanitárias do ambiente, como se apresentam as áreas vizinhas e se existem riachos ou terrenos baldios. Através dos vestígios, sabe-se quais pragas estão infestando e é elaborado um relatório fotográfico (com a autorização do cliente). São analisadas todas as não-conformidades que favorecem as pragas para, então, dar início ao planejamento do Manejo Integrado de Pragas, que objetiva impedir as condições de sobrevivência destas, baseando-se em dificultar os 4 As do controle eficaz, como a seguir:

ALIMENTO + ÁGUA + ABRIGO + ACESSO = CONDIÇÕES PARA A PRAGA EXISTIR

Educação e treinamento
Com o resultado da supervisão inicial, é marcado um treinamento na empresa-cliente para seus colaboradores (principais chefes de setores), com o objetivo de orientá-los sobre a importância do programa e como todos podem cooperar. Nós nos responsabilizamos por todo o material de apoio: data show, pastas, canetas e informativos.

Documentação do programa
Logo após o treinamento, é entregue toda a documentação de implantação do programa e os documentos exigidos pela Resolução Nacional para Controle de Pragas (RDC 52) e Vigilância Sanitária, tais como: o certificado de aplicação e de garantia, fichas técnicas dos produtos utilizados, manual do controle de pragas, POPs e documentos da contratada (Registro da Vigilância Sanitária e do órgão ambiental). Nesta pasta, que é importante para o programa, haverá um local para as ordens de serviços, que hoje é considerado o principal documento para os órgãos fiscalizadores. Segundo a RDC 52, os serviços de controle de pragas nas empresas devem ter, no mínimo, periodicidade mensal e o que comprova a realização dos mesmos são as ordens de serviços.

001

Instalação dos pontos de iscas
Logo que receber toda a documentação pertinente ao programa, será marcado o dia da inserção dos pontos de iscas e seu devido mapeamento. A quantidade de porta-iscas será definida pela extensão da área e pela infestação de roedores. Constata-se, através da experiência, que a colocação bem feita desses pontos de iscas dificulta, em média, 90% a entrada de roedores no ambiente interno, por isso são colocados logo no início do programa para evitar a migração da praga.

002

Barreiras físicas
Esta etapa possibilitará uma considerável redução na quantidade de produtos químicos utilizados, pois estaremos dificultando a entrada das pragas no ambiente. Por esse motivo, orientamos nossos clientes a investir tempo e capital neste passo. Se ele preferir, oferecemos um serviço adicional, realizando pequenas modificações na estrutura, como telamento e protetores de ralo.

Controle Químico
Normalmente, só é utilizado em último caso. Porém se for constatado, na supervisão inicial, um alto nível de infestação, já marcamos o controle químico com toda a orientação para preparação do ambiente e segurança dos envolvidos. Nossa equipe tem muita experiência com a utilização de praguicidas e sabe como evitar o que é mais temível para todas as empresas controladoras: a resistência das pragas.

003

Monitoramento
Agora, que já foi feito todo o processo com o MIP o que devemos fazer é um bom monitoramento de ocorrência de pragas, relatando o problema e fazendo o serviço de forma eficaz, porque, como o próprio nome diz, nós somos controladores de pragas, e não, exterminadores como muitos se nomeiam. Sabemos que não é só colocar inseticida, mas se faz necessário todo um programa para controlar pragas. Podemos citar o caso da dengue, em que são investidos milhões de reais todos os anos no controle do Aedes Aegypti e não para de crescer os casos da doença.

Principais pragas em supermercados

Baratas
Para se combater baratas em supermercados deve-se ter bastante experiência. Primeiro, saber quais os principais locais onde elas infestam e, depois, saber controlá-las, sem prejudicar a saúde das pessoas, obtendo-se assim um resultado eficaz. Nós nos destacamos no combate a esta praga, conseguindo controlar até as mais resistentes.

Ratos
Eis aqui o grande problema do manejo integrado de pragas em supermercados. Os roedores, como é o caso das ratazanas, vêm das regiões circunvizinhas e adentram na loja, gerando imensos prejuízos econômicos, pela destruição de mercadorias; morais, pois quando um cliente se depara com o animal na loja, indigna-se e, muitas vezes, fotografa e posta nas redes sociais; além do prejuízo à saúde das pessoas, pois são catalogadas hoje mais de 60 tipos de zoonoses transmitida por esta praga. Nossa empresa tem apresentado os melhores resultados nos controles de infestações que se apresentaram em fortaleza. Atribuímos isto ao investindo contínuo em novas tecnologias e participação em congressos internacionais como o rodens et spadium, o maior congresso mundial sobre roedores.

Moscas
Nosso clima favorece muito a proliferação desta praga, pois ela encontra as condições ideais para se reproduzir, chegando com as chuvas a níveis alarmantes e surpreendentes. Quem é de outro estado não consegue entender este nível de infestação. Porém, nós ajudamos nossos clientes, orientando quanto a barreiras físicas e condições de higiene, que inibem o crescimento deste inseto e, em último estágio, realizamos o controle químico.

Formigas
Esta praga que parece inofensiva transmite tantas doenças quanto a barata, porém não nos provoca asco. Apenas 5% desta peste forrageiam, o restante fica em sua toca, aguardando o alimento. É um grande problema em padarias e onde são armazenados doces em geral.

Escorpões
Um grande problema para nossa cidade – todos os anos, mais de 2.000 pessoas são picadas por escorpiões e, anualmente, este número cresce. Eles se alimentam de baratas, isto explica porque entram nas lojas, muitas vezes causando acidentes. É um animal de extrema resistência, sendo necessário administrar 3 vezes a dosagem de inseticida utilizado para baratas e poucos princípios ativos conseguem controlá-lo. O escorpião mais perigoso para nós e do gênero tityus, principalmente o stigmurus, porém já existe em fortaleza o serrulatus com uma toxina ainda mais poderosa.

Pombo
É considerado o rato de asa, pois esta praga é uma grande transmissora de zoonoses, tendo sido catalogadas no brasil mais de 60 tipos de doenças. É uma praga protegida por lei e não pode ser exterminada, é permitido apenas afastá-la e fazer o manejo para outras áreas, em que o pombo não ofereça riscos. Aplicamos um controle especial para este animal, utilizando equipamentos adequados, como elevares e contando com uma equipe preparada com treinamentos na rdc 33, exigidos para trabalhos em altura.

Gatos
Os gatos na área de alimentação também se tornam uma praga e, atualmente, representam um grande problema, pois estão espalhados por toda a cidade e muitos procuram alimentos em supermercados. A Vigilância Sanitária não permite (com razão) estes animais, também causadores de zoonoses, nas áreas internas da loja. E para fazer seu controle é preciso investir em barreiras físicas e fazer seu manejo de maneira especial.

Pular para a barra de ferramentas